Pages

sábado, 27 de dezembro de 2008

"Era um vez, milhões e milhões de estrelas no céu. Havia estrelas de todas as cores: brancas, lilases, prateadas, douradas, vermelhas e azuis. Um dia, elas procuraram o Senhor Deus Todo-Poderoso, o Senhor Deus do Universo e disseram-lhe: `Senhor Deus, gostaríamos de viver na Terra, entre os homens...' "Assim será feito" - respondeu Deus - "conservarei todas vocês pequeninas como são vistas e podem descer até a Terra." Conta-se que naquela noite houve a mais linda das chuvas de estrelas. Algumas aninharam-se nas torres das igrejas, outras foram brincar e correr com os vaga-lumes dos campos, outras misturaram-se aos brinquedos das crianças e a Terra ficou maravilhosamente iluminada.

Passado algum tempo porém, as estrelas resolveram abandonar os homens e voltar para ao céu, deixando a Terra outra vez escura e triste. "Por que voltaram?" perguntou Deus à medida em que chegavam novamente ao céu. "Senhor, não nos foi possível permanecer na Terra; lá existe muita desgraça, muita fome, muita violência, muita injustiça, muita maldade, muita doença." E o Senhor lhes disse "Claro, o lugar real de vocês é aqui no céu, estamos no lugar da perfeição, no lugar onde tudo é imutável, onde nada perece." Depois de chegadas todas as estrelas e conferindo-lhes o número, Deus tornou a falar: "Mas está faltando uma estrela... Perdeu-se pelo caminho?" Um anjo, que estava perto, replicou: "Não, Senhor, uma estrela resolveu ficar entre os homens. Ela descobriu que o seu lugar é exatamente onde existe imperfeição, onde há limites, onde as coisas não vão bem." "Mas que estrela é essa?" - voltou Deus a perguntar. "Por coincidência, Senhor, é a única estrela dessa cor." "E qual a cor dessa estrela?"- insistiu Deus. E o anjo disse: "A estrela é verde, Senhor, a estrela verde do sentimento da esperança." Quando então olharam a Terra, a estrela já não estava só. A Terra estava novamente iluminada, porque havia uma estrela verde no coração de cada pessoa. Porque o único sentimento que o homem tem e Deus não tem é a esperança. Deus já conhece o futuro, enquanto que a esperança é própria da Natureza Humana. Daquele que cai, daquele que erra, daquele que não é perfeito, daquele que não sabe ainda como será o seu futuro."

(Texto Rosacruz)

sábado, 20 de dezembro de 2008

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

O Rouxinol e o Ancião
Patativa do Assaré

Meu filho querido escuta,
Com verdade absoluta
Quero dar-te uma lição.
Guarda na tua memória
Esta proveitosa história
Do Rouxinol e o ancião.

Um ancião imprevidente
Criava, muito contente,
Na gaiola o rouxinol.
E extasiado escutava
Quando o pássaro cantava
Nas horas do pôr-do-sol.

O bom velho estudou tanto,
Aquele sonoro canto
de melodia sem par,
Com tal cuidado e vantagem
Que daquela ave a linguagem
Aprendeu a decifrar.

Um certo dia ele lendo
Naquele canto e fazendo
Os seus estudos sutis,
Viu que o pobre, com saudade,
Reclamava a liberdade
Para poder ser feliz.

Cantava e fazia acenos,
Pedindo ao senhor, ao menos,
Um pouco de permissão.
Voar um pouco queria,
E de novo voltaria
Para dentro da prisão.

O dono, com muita pena
Daquela prisão pequena
Uma portinhola abriu,
E o preso, as asas abrindo,
Voou, subindo, subindo,
E no espaço se sumiu.

Mas ó, que fatalidade!
Nessa curta liberdade
Para voar na amplidão,
Foi cair tão inocente
Irremediavelmente
Nas garras de um gavião.

O garrancho esfomeado,
Segurando o desgraçado
Ligeiro a terra baixou,
E o ancião sem conforto,
Vendo o passarinho morto,
De arrependimento chorou.

Meu filho, és um passarinho
A quem paternal carinho
Envolve na santa paz.
Nessa poesia rasa,
A gaiola é nossa casa
Onde feliz viverás.

Enquanto os conselhos sábios
Escutares de meus lábios
Ouvindo minhas lições
Como filho obediente,
Não cairás facilmente
Nas garras das seduções.

*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*

.*.*.*.

sábado, 6 de dezembro de 2008

´Maré... Maré... toada de reisado alagoano
As Encantadoras de Contos na Folia de Reis

Os Reis Magos



O anjo anuncia o nascimento do menino Jesus


Folia do Divino




sábado, 15 de novembro de 2008

A ilha dos sentimentos


Era uma vez uma Ilha onde moravam todos os sentimentos: a Alegria, a Tristeza, a Vaidade, a Sabedoria o Amor e outros...Um dia avisaram aos moradores da Ilha que ela seria inundada! Apavorado, o Amor cuidou para que todos os sentimentos se salvassem. Ele disse: fujam!!! A Ilha vai ser inundada! Todos correram e pegaram os barquinhos para irem até um morro bem alto. Só o amor não se apressou...amava a Ilha e queria ficar um pouco mais...
Quando já estava se afogando, correu pra pedir ajuda...Vinha vindo a riqueza e ele disse: Riqueza me leva com você? – Não posso, meu barco está cheio de prata e ouro...você não cabe aqui...Passou a Vaidade e o Amor pediu: Vaidade, me leva com você? – Não posso, você vai sujar meu barco novo...Daí, passou a Tristeza e mais uma vez o Amor pediu: Me leva com você? – Ah! Amor! Eu estou tão triste que prefiro ir sozinha...Passou a Alegria, mas ela estava tão alegre que nem viu o Amor...! Já desesperado e achando que iria ficar só, o amor começou a chorar...

Daí, passou um velhinho e, olhando, falou: Sobe Amor...eu te levo! O Amor ficou tão feliz que esqueceu de perguntar o nome do velhinho!!!Por fim, chegando no morro alto, o amor encontrou a Sabedoria e perguntou-lhe: Quem era aquele velhinho que me trouxe até aqui? – O Tempo! Respondeu a Sabedoria.-O Tempo? Mas por que só o tempo me trouxe até aqui? A Sabedoria respondeu: Só o Tempo é capaz de reconhecer um grande Amor...!

Desconheço o autor

sexta-feira, 14 de novembro de 2008




Após a nossa apresentação, participamos da Café Cultural com Marina Colassanti, que conversou com a gente, nos incentivando a continuar nosso trabalho e autografando um livro... foi muito bom!!! A escritora é de uma alegria contagiante, ficamos muito felizes de conhece-la pessoalmente!!!





Grande publico prestigiou a apresentação da Cia na FENALBA 2008. Sucessão!!!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O jornal virtual O Anacoluto publicou uma bonita matéria a respeito do nosso trabalho. Nossos sinceros agradecimentos ao editor Carlos Alberto Lopes pela atenção e carinho dedicados a nós. Clique aqui para ver a matéria!

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Estamos na página oficial da cidade de Itanhaém!!!
Confira aqui a programação da Semana Cultural da EM Maria Conceição da Luz. onde a Cia se apresentou.

terça-feira, 21 de outubro de 2008





A Cia esteve na E.M. Maria Conceição da Luz, em Itanhaém, abrindo a Semana Cultural promovida pelos professores da Unidade.Levamos o bloco de Cultura Popular, que foi aprovado pelos 450 alunos que assistiram a apresentação. Nosso muito obrigado aos professores e alunos, que nos receberam com muito carinho.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

O MISTÉRIO DAS ONDAS DO MAR

Há muito tempo atrás, os mares do mundo inteiro paralisaram. Não se
movia uma ondinha sequer. Em uma cidadezinha muito pobre, um jovem
curioso pescava à beira do mar tentando entender aquele mistério quando,

de repente, começou a escutar um estranho coaxar angustiado.
Ele apurou o ouvido e foi caminhando em direção de onde vinha aquele
som. Foi então que pulou na sua frente uma sapa enorme que lhe implorou:
— Por favor, estou me escondendo de uma cobra que deseja me devorar.
Me proteja, pois eu não quero morrer.
Dizendo isso, surgiu de repente uma cobra que imediatamente deu um
bote em direção à indefesa sapinha. O rapaz, sem ter muito tempo para
pensar, lutou com a cobra e sacando de uma faca que utilizava sempre
em sua pescaria, conseguiu dar um fim àquela serpente depois de muita
luta.
Muito agradecida, a sapa lhe fez um pedido muito estranho:
— Para completar a sua ajuda, gostaria que você me desse um beijo,
pois tenho sofrido muito estes últimos dias e preciso de carinho.
O rapaz então, impulsionado desta vez por sua bondade, atendeu ao
pedido da sapa que, após o beijo, transformou- se numa belíssima
jovem. Imediatamente, surgiram lindas ondas no mar que pareciam
cantar agradecidas por ele ter libertado sua princesa. As ondas batiam
com alegria na areia aquecida pelo Sol.
A princesa explicou que em seu reinado, lá no fundo do mar, ela era
a
responsável pelas beleza das ondas e contou que elas haviam parado
por causa de um feitiço que uma bruxa invejosa havia lhe jogado.
Feliz e agradecida, a princesa, antes de retornar para o mar, prometeu
a ele que nunca mais faltaria peixes para alimentar seu povo.
Foi assim que tudo aconteceu. Aquele povoado se tornou próspero e
todos viveram felizes por lá. Dizem que até hoje este rapaz pára aos
finais da tarde e fica escutando as ondas do mar, na esperança de que
apareça outra sapinha lhe pedindo um beijo encantado.
Autora : Denise A. <denisepoetisa@ yahoo.com. br>

terça-feira, 7 de outubro de 2008

A PRINCESA E O SAPO

O PINTINHO FOFINHO

O PRÍNCIPE MAL-HUMORADO

O COQUEIRO E A FLORZINHA

TEREZINHA DE JESUS

domingo, 28 de setembro de 2008

A Cia tambem confecciona os bonecos utilizados na contação de histórias, como a Terezinha de Jesus (foto) , feita a partir da técnica de empapelamento.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

O MERCADOR E O LOURO

Era uma vez um mercador que mantinha um papagaio preso em uma gaiola. Quando estava para ir à Índia, em uma viagem de negócios,ele disse ao pássaro: - Eu estou indo à sua terra natal. Você tem alguma mensagem para os seus parentes selvagens?- Simplesmente diga a eles - disse o papagaio - que estou vivendo aqui em uma gaiola. Quando o mercador retomou, falou ao papagaio:- Eu sinto dizer que tão logo encontrei os seus parentes selvagens lá na floresta e os informei de que você estava engaiolado o choque foi muito forte para um deles. Assim que ouviu a notícia, caiu do galho onde estava e não tenho dúvidas de que morreu de tristeza.
Imediatamente, assim que o mercador terminou de falar, o papagaio teve um colapso e caiu inerte no chão de sua gaiola.
Penalizado, o mercador tirou o papagaio da gaiola, colocando-o do lado de fora, no jardim. Então o papagaio, tendo captado a mensagem de seu parente selvagem, levantou-se e voou para fora do alcance do mercador.

(Conto Sufi)

quarta-feira, 27 de agosto de 2008


Apresentação em 24/8/2008.
Contadora espalhando o pó de pirlimpimpim ao contar a história de Monteiro Lobato.





video
A Cia Encantadora de Contos apresentou um espetáculo sobre cultura popular com histórias, cantigas e brincadeiras de diversas regiões do país, sendo alguns dos pontos altos da apresentação a história do Bumba Meu Boi e a da Velha a Fiar.




A Cia Encantadoras de Contos preparou um espetáculo de cultura popular, e uma das histórias de destaque é o Bumba Meu Boi. Aqui você confere os bastidores da construção do boi!

sábado, 9 de agosto de 2008





Apresentação da Companhia Encantadoras de Contos na tarde de lazer do Centro Espírita União e Fraternidade.


A Companhia Encantadoras de Contos participou do 2° Encontro Nacional de Contadores de Histórias em Santa Bárbara D'Oeste, onde contadores do Brasil inteiro estiveram para trocar experiências, e claro, aprender novas histórias.

A Cia Encantadoras está de cara nova! Confira!

A Cia Encantadoras está de cara nova! Confira!
 
Copyright (c) 2010 Cia Encantadoras de Contos. Design by Wordpress Themes.

Themes Lovers, Download Blogger Templates And Blogger Templates.